Notícias

Bolsonaro critica fechamento de escolas e ataca governadores

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – Em seu terceiro pronunciamento em rádio e televisão sobre a crise do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro voltou a minimizar na noite desta terça (24) a gravidade da doença.

O presidente pediu para prefeitos e governadores “abandonarem o conceito de terra arrasada”, que, para ele, inclui o fechamento do comércio “e o confinamento em massa”. “O grupo de risco é o das pessoas acima de 60 anos. Então, por que fechar escolas? Raros são os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos.”

Bolsonaro também atacou a mídia e voltou a criticar governadores.

A fala do presidente foi acompanhada por panelaços em algumas cidades do país, pelo oitavo dia seguido.

A conduta de Bolsonaro de buscar a atenuar a pandemia do coronavírus – já chamada por ele de “gripezinha” – impulsionou esses protestos desde a segunda-feira da semana passada, dia 16.

A última vez que o presidente chamou o sistema de rádio e TV para falar à população tinha sido no dia 12 de março, quando ele sugeriu que seus apoiadores não comparecessem a atos de rua planejados para o domingo seguinte, 15 de março. A justificativa era que aglomerações poderiam facilitar a transmissão da Covid-19.

O presidente, no entanto, descumpriu sua própria orientação e, no dia programado para as manifestações, se reuniu com simpatizantes em frente à rampa do Palácio do Planalto. Na ocasião, ele tocou em pessoas, as cumprimentou e tirou posou para selfies.

Antes disso, no dia 6 de março, Bolsonaro havia feito um pronunciamento para dizer que o país tinha reforçado seus sistemas de vigilância sanitários em portos e aeroportos, como preparação para o avanço do Covid-19. (Notícias ao Minuto)

DESTAQUE

CONTADOR DE ACESSOS

contador gratuito de visitas

FACEBOOK

Rádio Santa Cruz FM 87,9

PUBLICIDADE