Cultura

Gloria Groove diz que já disse muitos nãos ‘por sua liberdade artística’

Gloria Groove, 26, é reconhecida hoje como uma das principais artistas da música brasileira e a drag queen mais ouvida no mundo. Os números comprovam isso. A cantora tem mais de 5,1 milhões de ouvintes mensais no Spotify e se tornou a primeira drag solo a conquistar o Top 200 da Billboard -que nomeia os maiores hits do mundo, menos Estados Unidos- com a música “A Queda”.

Com tanto sucesso, Gloria poderia até aproveitar a ótima fase para relaxar e fazer shows fora do país, mas ela já havia programado um single novo. No dia 26 de novembro, a cantora lançou o videoclipe da música “Leilão”, terceira faixa do álbum “Lady Leste”, ainda sem data de lançamento, que virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.

No clipe, Gloria interpreta três personagens para contar a história de uma criatura fantástica que passa por um grande processo de valorização até ocupar seu lugar de protagonismo. “Mais uma vez me junto com Felipe Sassi para fazer cinema em ‘music video’, dessa vez mais cinema do que nunca”, diz.

A artista analisa no seu novo trabalho o próprio sucesso e convida de forma debochada as empresas para um leilão da marca Gloria Groove. Segundo ela, a música nasceu em uma mesa de reunião quando falavam sobre o que deu certo e errado. “É ali que eu estou entendendo como o mercado está se relacionando comigo”, explica.

“Em ‘Leilão’ eu comento sobre o meu próprio amadurecimento. Estou meio que olhando de fora, o que estou fazendo e cantando a bola do que foi falado em ‘A Queda’ [uma reflexão sobre o cancelamento] “, afirma.

Gloria revela que disse muito não para grandes corporações, assim como recebeu muitos não antes do sucesso por ser uma drag queen. Mesmo com propostas de grandes empresas, ela pretende continuar a parceria com a SB Music, que vem muito antes do surgimento da Gloria Groove, há seis anos. A artista tem 20 anos de carreira.

“Me procuraram oferecendo propostas, mas, de certa forma, eu estou firme no propósito de proteger a minha liberdade artística até onde eu conseguir e a todo custo, a qualquer custo”, afirma.

Gloria admite que sente uma certa insegurança de lançar uma música cerca de um mês após “A Queda”, maior sucesso da sua carreira, mas as duas canções já estavam programadas. “Quando vi os produtos que eu tinha em mãos e notei que teríamos um Halloween e uma Black Friday atrás da outra, não podia perder esta oportunidade, então sempre foi proposital.”

No fim das contas, a cantora acredita que é melhor competir com ela mesma, superando limites, do que ficar se comparando com outro artista. “Em ‘A Queda’ e o ‘Leilão’ eu estou conseguindo explorar de um jeito mais profundo isso, o que só a Gloria Groove consegue fazer dentro do pop. Estou gostando muito do que eu estou vivendo.”

Mesmo com o grande sucesso de “A Queda”, a cantora explica que, na sua cabeça, as faixas “Bonekinha” e “Leilão” têm a mesma importância dentro do álbum “Lady Leste”. “Eu sei que na vida a gente vai olhar para isso como períodos diferentes, sucessos diferentes, mas para mim todas têm uma importância na construção de quem é a ‘Lady Leste’ no final das contas.”

Gloria diz que a principal preocupação daqui para frente é continuar apresentando mais faixas do álbum “Lady Leste”. “[O sucesso de ‘A Queda’] é uma pressão que chegou depois, não deu tempo de eu ficar brisando nisso porque, para mim, eu já estava tratando ‘A Queda’ e ‘Leilão’ como coisas que iriam acontecer uma depois da outra.”

Com três faixas lançadas que são totalmente diferentes, Gloria diz que já se desprendeu da ideia de que o álbum tem que ser coeso e com a mesma referência musical. “Não é assim que eu funciono, aqui na minha cabeça uma coisa não consegue dar lugar inteiramente para a outra.”

Para a artista, cada um tem que entender o seu processo artístico e a cabeça dela é uma bagunça. “Eu sou muitas coisas e esse é um dos valores que eu consigo transmitir com a minha vida, a minha carreira. Ninguém é uma coisa só, é isso que eu faço, uma era pop, R&B, funk ou quando eu apareço de homem e depois de mulher.”

Sobre a participação no Show dos Famosos do Domingão do Hulk (Globo), a artista está animada e diz acreditar que ser uma drag queen a coloca em vantagem na competição. Para ela, a única diferença do programa para a sua vida é que não tem uma pessoa ajudando em cada detalhe no seu dia a dia.

“Eu drag, é correria, estou sempre fazendo muito com pouco, muita coisa sozinho. Para mim nada dói, machuca, aperta. A minha vida é assim.”

A artista fala rindo que vive o Show dos Famosos, porque tem que colocar a Gloria Groove para nascer, existir. “O meu trabalho envolve tudo o que eu faço no Show [dos Famosos]: vocal, caracterização, coreografia. Eu vivo uma experiência artística como a minha vida para homenagear outro artista.”

DESTAQUE

CONTADOR DE ACESSOS

contador gratuito de visitas

FACEBOOK

PUBLICIDADE